No dia 20 de março comemoramos o DIA INTERNACIONAL DA FELICIDADE, que foi instituído pela ONU (Organização das Nações Unidas) a partir de 2012. No Brasil, comemoramos todo o mês de março como o MÊS DA FELICIDADE.

A Universidade de Harvard tem dado atenção especial à Psicologia Positiva e à Ciência da Felicidade. As aulas do PhD israelense, naturalizado americano, Tal Bem-Shahar sobre FELICIDADE é a aula mais assistida naquela universidade.

Atribuímos isso a uma busca incessante do ser humano pelo bem-estar subjetivo, ou seja, uma avaliação cognitiva e emocional da vida.

Mas, é possível expandir a felicidade para todas as áreas da vida, inclusive a profissional?

A resposta a essa pergunta é SIM. É possível alcançar a felicidade no trabalho.

Comece identificando suas forças e virtudes. Existem profissionais capacitados para apoiá-lo nessa tarefa. Identificadas, utilize-as intensamente nas suas atividades profissionais diárias, tornando-se, assim, um profissional mais motivado, mais bem sucedido e mais feliz. Por exemplo, se uma de suas forças é APRECIAÇÃO DA BELEZA, procure trabalhar em locais limpos, organizados e bem decorados, como também procure parceiros que sejam organizados. Suas entregas terão excelência tanto na forma como no conteúdo. Da mesma forma, se alguém tem como uma das forças a GENEROSIDADE, trabalhe em empresas e atividades que tenham como objetivo a ajuda ao outro. Isso o fará se sentir mais feliz.

Em contrapartida, as organizações, através de seus líderes, precisam proporcionar certa segurança psicológica aos funcionários, o que significa a certeza de que ninguém será constrangido ou punido ao falar, pedir ajuda ou falhar em alguma tarefa. Quando os líderes de equipe criam um clima de segurança psicológica e os colaboradores se sentem à vontade para “falhar” e depois compartilhar e discutir seus erros, todos podem aprender e melhorar. Ao contrário, quando os erros são ocultados, além de não haver aprendizado, a probabilidade de que os erros se repitam é bem maior.

Comprovadas cientificamente pela Psicologia Positiva, as ações a seguir contribuirão para a felicidade de qualquer indivíduo, em qualquer área de sua vida:

– procure ser melhor do que você mesmo a cada dia, tendo persistência e otimismo criativo. Não permita que as dúvidas e ansiedades assumam o controle de sua vida;

– busque integrar seus valores, sentimentos, pensamentos e ações em um todo harmonioso, para que surja a sensação sólida de significado, que gera engajamento e comprometimento;

– identifique o seu propósito de vida e associe prazer a significado, ou seja, tenha como atividade principal o que faz com prazer e percebe um forte sentido para a sua vida, por mais simples que essa atividade possa parecer. Empregue suas forças para alcançar um propósito maior do que você mesmo em suas experiências diárias;

– cuide de sua saúde, vitalidade e energia. A atividade física permite interações sociais significativas, servindo como veículo sadio para a formação de redes de relacionamento;

– tenha metas e objetivos claros e desafiadores, pois eles conduzem à elevação dos níveis de motivação e dos resultados. Os objetivos são temas centrais da Teoria da Esperança, que, resumidamente, diz que a esperança capitaliza a autoiniciativa, ou seja, as motivações direcionadas a objetivos e comportamentos;

– escolha relacionamentos positivos e interações, uma vez que são altamente motivadores, porque afetam a saúde física e psicológica e são elementos essenciais para a felicidade.

“A maior parte da nossa felicidade ou de nossa infelicidade depende de nossa disposição, e não das circunstâncias. Por onde quer que andemos, carregamos em nossa mente as sementes de uma ou de outra.” (Martha Washington)

FLORESCIMENTO E AMOR!